segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

O Dilema dos Brincos

Durante a gravidez quando descobri que meu bebê era menina já comecei a pensar se teria coragem de colocar os temidos brincos. Ficava tensa só de imaginar levando a pequena para furar as orelhas. Foram nove  meses de angustia.

Depois que ela nasceu fui pesquisar sobre a colocação de brincos e pasmem, o assunto não é tão simples quanto parece. Isso por que durante as minhas leituras percebi a importância de esperar um pouquinho para a colocação da joia. Muitos pediatras indicam o furo a partir do terceiro mês de vida pois nesta fase as pequeninas já tomaram uma dose da vacina contra o tétano. Também por que estão mais fortinhas caso haja algum tipo de infecção.

Então tive mais três meses para continuar pensando sobre colocar ou não os brincos... Pensava: uma coisa é levá-la para tomar vacina, onde mesmo fazendo um chorinho sei que é algo para o seu bem... Agora, colocar brinco... Será que isso pode ser caracterizado como o início da vaidade feminina? É engraçado, mas passa tanta coisa pela cabeça!

Por outro lado, pensei na possível cobrança que ela poderia me fazer caso optasse por não furar suas orelhas ainda bebê. É sempre uma decisão difícil e no final das contas sobrou para o papai escolher se colocava os brincos ou não. Ficou decidido então que seria colocado.

Decisão tomada, fui atrás de algo que diminuísse a dor e encontrei a pomada anestésica chamada EMLA. Como boa mãe que sou fiz o teste primeiramente em mim. No dia anterior ao furo da pequena passei um pouquinho da pomada na minha orelha e fiquei aguardando o resultado. Uma mordida do papai na orelha sem anestesia e outra na anestesiada e pronto, estava comprovada a eficácia. Ela dá um sensação de formigamento já nos primeiros dez minutos da aplicação, mas não é 100% sensível a pressão. Resultado, estava ciente que a Valentina ia chorar pelo menos um pouco...

Meia hora antes da colocação dos brincos, passei um bocado de pomada na orelha da pequena que deve estar anestesiada até agora! Mas quando a enfermeira pegou a minha boneca no colo me deu uma angústia tão grande... Se estivesse sozinha (sem o papai) juro que pegava ela e ia embora sem brinco! Me deu dor de barriga, sudorese, tontura, prendi o choro e fiquei andando de um lado para o outro. Foram os dez minutos mais demorados da minha vida. E ela chorou? Claro. Não foi assim um mega choro, mas qualquer choro neste caso ia ser doído.

Já no meu colo e agora sem choro tomei coragem de olhar a joia que ficou linda!

4 comentários:

  1. Ser mãe de menino tem esta vantagem, não precisei passar por isso, Fran. Imagino sua situação, a cada vacina que ele precisava tomar, ficava exatamente como você narrou. Beijo em vc e na sua pequena.

    ResponderExcluir
  2. Pode ter certeza de que não causasse nenhum trauma na Valentina! Eu digo Sim aos brincos!! ;) [Aqui na NZ acham uma loucura isso que a gente faz aí no Brasil de colocar brincos nos bebezinhos. Eu não acho!] bjssss

    ResponderExcluir
  3. Oi Ju!!
    Menina que aflição :-)
    Sabe que ainda olho pro brinco meio ressabiada...
    Grande beijo pra você e para seu baby também!

    ResponderExcluir
  4. Dulcinha!!!!
    Ai tomara né?
    hehehehehe
    beijinhosssss

    ResponderExcluir